PRÊMIO GOVERNO DE MINAS GERAIS DE LITERATURA

O Prêmio Governo de Minas Gerais de Literatura foi criado em dezembro de 2007, com o objetivo de promover e divulgar a literatura brasileira, reconhecendo grandes nomes nacionais e abrindo espaço para jovens escritores mineiros.

Trata-se do aperfeiçoamento do concurso iniciado em 1974, então chamado Prêmio Guimarães Rosa. Suas edições foram interrompidas em 1984, para retornar sob o nome de Prêmio Minas de Cultura, em parceria com uma rede de televisão, sobrevivendo sob esse formato por mais alguns anos, até sofrer nova interrupção. Foi retomado na atual fase em 2007.

Atualmente, o Prêmio Governo de Minas Gerais de Literatura abre editais anualmente e se divide em quatro categorias:

I - Conjunto da Obra (homenagem a um escritor brasileiro em atividade)

II – Poesia

III – Ficção

IV - Jovem Escritor Mineiro

Nas categorias Poesia e Ficção, o Prêmio é aberto a escritores iniciantes e/ou profissionais, maiores de 18 anos, nascidos e residentes em todo o território nacional.

A categoriaJovem Escritor Mineiro é restrita a pessoas com idade entre 18 e 25 anos, nascidas em Minas Gerais ou residentes no Estado há pelo menos cinco anos.

Para a categoria Conjunto da Obra, uma comissão especialmente designada indica um autor cuja obra seja, em seu conjunto, de inegável qualidade e relevância para a literatura brasileira e tenha contribuído de maneira decisiva para novos rumos da produção e/ou crítica literária brasileira. Nesta categoria, não há inscrições.

Os escritores já agraciados pelo Conjunto da Obra no Prêmio Governo de Minas Gerais são:

2014 – Fábio Lucas

2013 – Ferreira Gullar

2012 – Rui Mourão

2011 – Affonso Ávila

2010 – Silviano Santiago

2009 – Luis Fernando Verissimo

2008 – Sérgio Sant’Anna

2007 – Antonio Candido

Vencedores da edição 2014

Fábio Lucas Gomes – Conjunto da Obra

Fábio Lucas nasceu na cidade de Esmeralda (MG), em 1931. Bacharel em Direito pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), concluiu seu doutorado e livre-docência em Economia em 1963.

Na década de 1950, participou da fundação das revistas Vocação (1951) e Tendência (1956) em Belo Horizonte, tendo como companheiros o poeta Affonso Ávila e o romancista Ruy Mourão, entre outros. Desde essa época, exerceu a crítica literária em jornais e revistas, escrevendo inúmeras obras de estudos sociais e crítica literária.

Fábio lecionou Literatura Brasileira em várias universidades no exterior. Integra a Academia Mineira e a Academia Paulista de Letras. Foi presidente da União Brasileira de Escritores por vários mandatos, além de diretor do Instituto Nacional do Livro.

Mora em São Paulo desde 1977.

Tem sido convidado para integrar Comissões Julgadoras de prêmios literários de projeção internacional, como, entre outros, o Prêmio Camões (Portugal-Brasil) e o Prêmio Casa de las Américas (Cuba).

Marcus Vinícius Teixeira Quiroga Pereira – Poesia

O premiado da categoria Poesia, com a obra“Retablos de Frida Kahlo”, Marcus Vinícius é poeta, contista, crítico e ensaísta. É doutor em Literatura Brasileira, membro da Academia Carioca de Letras e do PEN Clube de Brasil; atualmente ministra oficinas literárias. Autor de 18 livros de poesia, como “Manual de instruções para cegos”, “O xadrez e as palavras” e “Jardim das delícias”, já foi agraciado com prêmios da CBL (Jabuti), da Fundação Biblioteca Nacional, da UBE (Rio de Janeiro e São Paulo), entre outros; colabora em diversas publicações literárias, como o Caderno Ideias (JB), o jornal Rioletras e as revistas Renovarte e da Academia Brasileira de Letras. 

Jozias Benedicto de Moraes Neto – Ficção (conto)

Contemplado com “Como não aprender a nadar”, Jozias é escritor e artista visual. Nasceu em São Luís (MA) em 1950, mas mora no Rio de Janeiro desde 1966, onde se graduou em Economia pela Pontifícia Universidade Católica (PUC-RJ) e cursou a especialização “Literatura, Arte e Pensamento Contemporâneo” (PUC-RJ).  Como artista visual, participou, entre outras mostras, da XVI Bienal de São Paulo (1981), e atualmente desenvolve videoinstalações que unem literatura (ficção) e artes visuais (vídeo), trabalho já exibido em diversas mostras individuais e coletivas no Rio de Janeiro, Belo Horizonte (“Videoarte 2013”, no Oi Futuro BH), Teresina e Lisboa. Seu primeiro livro de contos, “Estranhas criaturas noturnas”, lançado em 2013 pela Editora Apicuri (Rio), foi finalista do Concurso SESC de Literatura 2012/2013.

Estevão Luís Bertoni Araújo – Jovem Escritor Mineiro

O vencedor na categoria Jovem Escritor Mineiro, com a obra "Ylus, o dragão de papel", tem 24 anos e mora em Ituiutaba (MG). É professor de inglês, com uma graduação universitária em Engenharia Mecatrônica ainda não terminada. De 2004 a 2008, participou das edições da Agenda da Tribo como colaborador com poesias e textos. Venceu em 2006 o 12º Prêmio Nacional Assis Chateaubriand de Redação/Projeto Memória, com o trabalho: “Quem tem medo de Nísia Floresta?”. No ano seguinte, 2007, com 16 anos, venceu o Prêmio Branquinho da Fonseca, da Fundação Calouste Gulbenkian, em Portugal, com um livro infanto-juvenil intitulado "O Dono da Festa", editado em 2008 no país.